Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2006

Silenciosa Pergunta

Por onde passa nossa identidade

Imagem
Anselmo Borges Padre e professor de Filosofia
Diário de Notícias - Lisboa - PortugalAs nossas raízes são cristãs. Como escreveu recentemente o filósofo agnóstico Régis Debray, "é sempre possível renegar esta ascendência; negá-la seria frívolo". É uma "questão de código genético". É a nossa "árvore genealógica", sem "orgulho" nem "vergonha". Não se pode negar a própria identidade. Não se trata de impô-la aos outros, mas, quando se conhece as próprias raízes, é mais fácil dialogar com os outros, apreciando as deles e abrindo-se, na universalidade, ao enriquecimento mútuo.
... Dois mil milhões de seres humanos confessam-se cristãos, o que faz do cristianismo a principal religião da Humanidade. ...

Democracia Cultural: o que é isso?

O Brasil pode mais pela democracia cultural”

O sociólogo holandês Joost Smiers acredita que o Brasil pode fazer muito mais no debate sobre propriedade intelectual e diversidade cultural. Em entrevista exclusiva à Carta Maior, Smiers explicou também por que o grande problema da cultura é a liberdade democrática e como o copyright tornou-se o maior bicho-papão desse processo.

Carlos Gustavo Yoda

Diretor do centro de pesquisas da Universidade das Artes de Ultrecht, na Holanda, o sociólogo Joost Smiers é uma das principais referências dos movimentos crescentes no mundo que lutam pela democratização da comunicação e da cultura. Polêmico com sua radical proposta pelo fim dos direitos autorais, Smiers esteve no Brasil entre o fim de novembro e início de dezembro para divulgar seu primeiro livro publicado no país.

Artes Sob Pressão – Promovendo a Diversidade Cultural na Era da Globalização aponta os problemas e propostas fundamentais para as culturas locais. Um livro sobre arte, no qual o questio…

Democracia e poder

Democracia e poder

Frei Betto*

No tempo de Jesus, a questão da democracia já estava posta, porém apenas numa região muito distante da Palestina: a Grécia. Dominada pelo Império Romano, a Palestina era governada por homens nomeados ou consentidos por Roma – o rei Herodes; os governadores Pôncio Pilatos, Herodes Antipas, Arquelau e Felipe; o sumo-sacerdote Caifás.

O que aparece de novo na prática e na pregação de Jesus é uma velha questão à qual ele dá um enfoque radicalmente diferente de seus contemporâneos: o poder. O poder já era objeto de reflexão dos filósofos gregos desde Sócrates. A ele, Platão dedicou o livro “República”; e Aristóteles, a obra “Política”.

No Antigo Testamento, o poder é mais do que uma dádiva divina. É uma forma de participar do poder de Javé. É através de seus profetas que Javé escolhe e legitima os poderosos. Todavia, nenhum deles, ao contrário do que ocorria no Egito e em Roma, era divinizado pelo fato de ocupar o poder. Ainda que escolhido por Deus, o poderoso p…

Acordar a consciência

Acordar a consciência

Danilo Pretti Di Giorgi*

“Uma Verdade Inconveniente”, documentário estrelado por Al Gore, ex-vice-presidente dos EUA, é um filme imperdível. Quem se preocupa de coração com a questão ambiental e compreende o tamanho da encrenca em que estamos metidos por conta do efeito estufa não pode deixar de assisti-lo e de convencer quem ainda não entendeu a seriedade da questão a fazer o mesmo.

Enquanto escrevo este artigo (quinta-feira, 14/12/2006), o filme ainda está em cartaz em São Paulo. Provavelmente, quando você estiver neste ponto do texto, não mais estará. Mas não desista, vá atrás do DVD; exija que sua locadora compre o título. Se minha previsão confirmar-se, o documentário terá sobrevivido em cartaz nos cinemas da cidade por heróicas seis semanas, embora durante 21 dias capengando em apenas uma sala (e, nesta última semana, em apenas um horário, bem no meio da tarde). Enfim, foi tudo menos um sucesso de público, o que é uma pena.

O filme traz muitos estudos e pesquis…

A República

Confira o capítulo de introdução de "A República" de Renato Janine Ribeiro
Fonte: Folha online

"Dois Quadros Ressuscitam O Ideal Republicano"

PAI E FILHOS

No Salão de 1789, em Paris, o pintor Jacques Louis David (1748-1825) expõe seu quadro Os Litores Levam ao Cônsul Brutus os Corpos de Seus Filhos, que hoje está no Museu do Louvre. Todo espectador culto entende de imediato o sentido da obra. Refere-se a um episódio da Roma antiga, depois de expulso o último rei e proclamada a república. Brutus era um dos dois cônsules eleitos anualmente que exerciam, em conjunto, o poder executivo. Seus filhos, porém, conspiraram para restaurar a dinastia dos Tarqüínios --uma dinastia etrusca, portanto de origem externa à cidade-- e foram presos.

O próprio pai os condena à morte. Na sua função pública, não poderia agir de outro modo. No quadro, vemos ao fundo os cadáveres, com as mulheres soltando todo o desespero, toda a dor pela morte dos rapazes. No primeiro plano, o cônsul, em silê…

Crise e demissões na UNIMEP

Prezados(as)
Segue matéria recebida sobre a crise e as demissões na UNIMEP e que afetam
e que afetam gravemente as atividades educacionais da instituição, de modo
especial o programa de pósgraduação em educação.

SOLICITAMOS AMPLA DIVULGAÇÃO!

Prof. Dr. José Claudinei Lombardi
Coord. executivo do HISTEDBR / FE UNICAMP

=================================================

UNIMEP - Desrespeito ao processo eleitoral e mais de 100 demissões via Intranet

Alguns fatos

A crise financeira da Unimep vem se agravando nos últimos anos.
No dissídio coletivo de abril/maio deste ano, os professores concordaram com uma redução de seus salários em 10% e com o não reajuste anual de acordo com a inflação do período, perfazendo uma redução salarial cerca de 15%, em troca da garantia de não demissão de colegas até pelo menos o próximo dissídio.

Há cerca de um mês assumiu a reitoria da Unimep, com antecipação do encerramento do mandato do então reitor, o Prof. Davi Ferreira Barros, ex-reitor da Universidade Metod…