Por onde passa nossa identidade

Anselmo Borges Padre e professor de Filosofia
Diário de Notícias - Lisboa - Portugal

As nossas raízes são cristãs. Como escreveu recentemente o filósofo agnóstico Régis Debray, "é sempre possível renegar esta ascendência; negá-la seria frívolo". É uma "questão de código genético". É a nossa "árvore genealógica", sem "orgulho" nem "vergonha". Não se pode negar a própria identidade. Não se trata de impô-la aos outros, mas, quando se conhece as próprias raízes, é mais fácil dialogar com os outros, apreciando as deles e abrindo-se, na universalidade, ao enriquecimento mútuo.
... Dois mil milhões de seres humanos confessam-se cristãos, o que faz do cristianismo a principal religião da Humanidade. ...

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto de pesquisa: o que é hipótese e marco teórico

Projeto de pesquisa: construindo o marco teórico

História do Direito: O direito grego antigo.