Pessoa conversa com Pessoa

Pessoas não conversam somente com os amigos, mas com pessoas. Comprometer-se com a pessoa é comprometer-se com a verdade. É certo dizer que o que diz uma pessoa é a própria pessoa. Mas, não é certo dizer que a pessoa é apenas um dito daquela pessoa, sem considerar os seus outros dizeres e suas reelaborações. E não é certo não permitir que ela o faça. Por isso, a pessoa é aquilo que ela diz, diz de novo, aquilo que ela reelabora e aquilo que ela diz de diferente daquilo que disse primeiro. Porque comprometer-se com a pessoa é comprometer-se com uma relação verdadeira e não simplesmente com que ela disse primeiro.

Quando nada é dito, não podemos dizer que estamos diante da pessoa. Antes, estamos diante da idéia que formamos da pessoa até aquele momento.

A estratégia de provocar o outro é legítima, desde que seja para trazer o outro para a conversa, convidando-o a reelaborar as suas idéias. Isso não é fácil fazer.

Tratar o outro como inimigo, adversário, criminoso ou qualquer coisa que o valha é não mais querer escutar o outro e se prender a uma idéia que fazemos dele. Esta atitude conservadora é mais comum.

Do mesmo modo, o outro que tampa os ouvidos e se prende a sua opinião inicial com pretensões de encerrar a conversa, se enjaulou em sua própria idéia. Isso é possível, não para sempre, mas é possível. Neste caso, quem perde somos todos nós.

Pessoa se contrapõe a pessoa, isto é certo, no entanto, não para que um vença o outro, não neste sentido de luta, mas, contrapõe-se a pessoa porque a verdade não é exclusiva e completa no dizer de nenhuma pessoa. E jamais vai ser. Por isso precisamos do outro, permitir que o outro permaneça sempre o outro, para novamente proferir palavras e poder exprimir novamente a verdade, porque, a verdade no dizer da pessoa é única e definitiva. No sentido de que ela não pode mais desdizer aquilo que disse, mas, somente dizer algo novo e diferente do que disse. Isso não me parece um dom, mas, um exercício que devemos fazer diariamente.

Aquele que pensa assim passa a ter respeito por todas as pessoas e não simplesmente pelas pessoas que o admiram e concordam com que diz.

Luiz H. Eiterer
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto de pesquisa: o que é hipótese e marco teórico

Projeto de pesquisa: construindo o marco teórico

História do Direito: O direito grego antigo.