A política agrária dos Gracos - Lei Semprônia (133 a. C.)



Tibério nasceu em 163 a.C., filho mais velho de Tibério Semprônio Graco (m. 154 a.C.) um político influente e de Cornélia Africana. Embora não fossem patrícios, os Gracchii eram uma das famílias mais importantes da aristocracia romana. Através da mãe Tibério era neto de Cipião Africano, o herói da segunda guerra púnica, e pela irmã Semprônia era cunhado de Cipião Emiliano.

A vida pública de Tibério começou durante a Terceira Guerra Púnica, como tribuno militar ao serviço do seu cunhado.
Parte 1 - Assistir filme.



O Fim do Império Cartaginês

As duas primeiras guerras com Roma reduziram em muito o tamanho do antigo império cartaginês, restando apenas áreas adjacentes à cidade de Cartago. Cartago nunca foi forte militarmente falando, e ficou ainda menos depois dessas guerras. Governada por comerciantes, sem um exército poderoso, Cartago valia-se de mercenários que se insurgiram contra os cartagineses, minando suas defesas - certamente uma das causas para a derrota face aos romanos (sobre este episódio Flaubert escreveu o romance Salammbô). Cartago estava agora totalmente à mercê da vontade de Roma. Foi destruída ao fim da terceira guerra púnica por Cipião Emiliano (146 a.C.). A cidade foi arrasada até aos seus alicerces e o chão foi salgado (colocado sal) para que nada nele crescesse. Esta atitude extrema deveu-se ao fato de Cartago ter sido a única potência que podia concorrer pelo domínio do Mediterrâneo ocidental. Roma e Cartago estavam sensivelmente colocadas no eixo central deste mar, num tempo que não comportava concorrência. A luta entre Roma e Cartago era exclusivista.
Parte 2 - Assistir filme.



Tibério em 137 a.C. foi nomeado questor e escalado para servir em Numância (na Hispânia) sob as ordens do cônsul Caio Hostílio Mancino. A campanha não foi bem sucedida e o exército romano sofreu uma pesada derrota. O desastre total foi evitado por Tibério Graco, que tomou a iniciativa de assinar um tratado de paz com o inimigo. De regresso a Roma, Scipio Aemilianus considerou a atitude como covardia e convenceu o senado a anular o armistício. Tibério não gostou de se ver desautorizado e tornou-se num crítico da atuação do cunhado.
Parte 3 - Assista aqui.



Parte 4 - Assista aqui.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto de pesquisa: o que é hipótese e marco teórico

Projeto de pesquisa: construindo o marco teórico

História do Direito: O direito grego antigo.